Google+ Followers

domingo, 14 de fevereiro de 2016

COMPULSÃO POR AGRADAR: O QUE É ISSO?

Por Néa Tauil


Embora pouco divulgado, a compulsão por agradar é um problema psicológico bastante comum, mas difícil de detecção porque é confundida com bondade, já que a agradadora ou agradador compulsivo se desdobra para garantir que todos à sua volta estejam felizes, elevando as necessidades alheias  acima da própria satisfação.

Na verdade, quem sofre desse mal está sempre sacrificando a própria saúde e felicidade para agradar aos outros, jamais diz "não" para as solicitações alheias, coloca a necessidade dos outros em primeiro lugar, esforça-se ao máximo para obter aprovação de todos, na esperança de ser amado, nunca ser abandonado ou castigado. 

Do ponto de vista clínico,  a agradadora ou o agradador compulsivo são normalmente pessoas que foram muito feridas na infância, foram tão humilhadas, rejeitadas e castigadas que as suas necessidades passaram a não ser percebidas por si mesmo ou não vistas como mais importantes, aprenderam em tenra idade a sentir medo excessivo e irracional de sentimentos negativos. No caso da compulsão por agradar, os receios específicos envolvem o medo da raiva do outro, da rejeição, dos conflitos, da agressividade ou da hostilidade e das confrontações.

É fato que - às vezes - podemos, sim, sacrificar nossos desejos ou necessidades em favor do outro, mas desde que isso não se torne constante, ou mesmo um hábito rotineiro, pois a fuga de conflitos e a  retenção da própria  raiva irão prejudicar a qualidade dos relacionamentos, da saúde física, emocional, social, profissional, etc. porque o temor da raiva, tanto própria quanto do outro, e a fuga de conflitos nutrem hábitos agradadores, que impedem de formar e manter relacionamentos íntimos e saudáveis.  

Como vimos, a compulsão por agradar envolve um certo exagero em se fazer necessário, assumir responsabilidade, estar sempre à disposição do outro, enfim, exigir-se demais até esgotar todos os recursos possíveis no intento de agradar, isso porque a pessoa não sabe o momento certo de parar, dificilmente nega pedidos, não consegue delegar ou negar algo a alguém de forma tranquila. Como resultado dessas ações, as agradadoras e agradadores compulsivos estão sempre ressentidos, confusos e estressados, pois se sentem usados e não sabem por quê.

Dessa forma, o importante é buscar  ajuda psicológica para que se possa tomar consciência e lidar de forma gradual com seus conflitos internos e sua história emocional, para aprender as habilidades de administração da raiva e conflitos, a identificar os momentos em que os outros abusam de sua bondade e poder dizer "não," sem medo de desagradar, enfim, aprender que para ser saudável e feliz, a obtenção da própria aprovação é muito mais importante do que a de qualquer outra pessoa. 





Todos os direitos reservados a Julcinéa Maria Tauil (Néa Tauil)
Psicoterapia Beneficia as Pessoas - http://psicologaneatauil.blogspot.com
Contato: neatauil@gmail.com