Google+ Followers

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

PALMADA PSICOLÓGICA CONJUGAL

Por Néa Tauil

O que nos leva a mantermos relacionamentos? Acredito que um motivo importante é o desafio do crescimento e da evolução das pessoas como seres humanos, já que o encontro amoroso não acontece por acaso, pois quando duas pessoas se juntam é porque suas dificuldades são semelhantes, mesmo com histórias diferentes.

Quando o ambiente, onde o casal vive, é acolhedor, o convívio torna-se uma fonte de estímulo e aprendizado, porque é possível admitir as próprias dores e dificuldades, expressar emoções, cometer erros, assumir riscos, experimentar novas ideias, revisitar conceitos, receber e dar amor e carinho. Mas quando há afastamento afetivo entre o casal e o ambiente é ameaçador ou amedrontador, a aprendizagem, o crescimento, a troca, não acontecem.

Atualmente, é comum ouvir falar em violência conjugal, bem diferente de antigamente, em que as agressões físicas e psicológicas aconteciam de forma silenciosa, em seus ambientes domiciliares. Hoje, temos até leis para esse tipo de violência. 

São muitos os fatores que podem deflagrar tanto manifestação de palmada física quanto psicológica ou ambas. Nesse texto, pretendo focar na palmada psicológica entre casais, por ser brutal e nociva, mas também por não ser reconhecida e nem vista como é o caso da palmada física. E sabe porque não é vista? Porque os hematomas doem na alma. O que chama a atenção é que esse tipo de manipulação emocional parece ser imperceptível nas relações, pois até a própria vítima demora a perceber e compreender os efeitos destrutivos da palmada psicológica conjugal. 

Afinal, do que se trata a palmada psicológica conjugal? São agressões feitas através do uso de palavras que desqualificam e desmerecem as potencialidades do parceiro ou da parceira, que criam constrangimento, sentimento de impotência, de fracasso, enfim, que atingem o autoconceito, a autoimagem e a autoestima do outro, desqualificando-o enquanto ser humano. Ou seja, a brutalidade não está na força dos braços, mas sim na força das palavras. 

Mas por que a palmada psicológica é nociva? Porque o estresse vivenciado pelas vítimas da palmada psicológica ocasiona baixa imunidade fisiológica, delimitando todo o organismo. E ao contrário do que se supõe, o processo de adoecer causado pela palmada psicológica não se manifesta apenas por meio de sintomas físicos ou orgânicos, na verdade envolve nossa vida como um todo.

O que fazer para superar o ciclo vicioso no uso da palmada psicológica conjugal? Uma ação possível é a busca de tratamento psicológico para que o casal possa emergir para uma nova concepção saudável de relacionamento, que inclui aprender a criar espaços para o diálogo, já que a incomunicabilidade é um dos fatores que podem induzir à violência, despertar para a capacidade de simpatia e empatia, de respeito, de cuidado com o parceiro ou a parceira, enfim, repensar papéis e posturas na relação conjugal, pois o amor que promove a cura é um processo de aprendizagem e crescimento.


Psicoterapia Beneficia as Pessoas! http://psicologaneatauil.blogspot.com



Todos os direitos reservados a Julcinéa Maria Tauil