Google+ Followers

sábado, 20 de outubro de 2012

RELACIONAMENTOS SÃO FEITOS DE DOIS INTEIROS

Por Néa Tauil

A impressão de sermos uma ¨metade¨ nos acompanha desde o nascimento, porque nascemos fundidos em outro ser: a mãe. O problema é que essa sensação de que falta alguma coisa não pode ser preenchida por outra pessoa. Na verdade, ninguém precisa de outra parte para se completar. Essa situação de incompletude tem de ser resolvida internamente, sem repassar ao outro a responsabilidade por esse vazio. Portanto, é importante entender que relacionamentos são feitos de dois inteiros, não de duas metades. A lenda dos índios Sioux mostra as razões porque devemos abandonar a ideia de fusão embutida no amor romântico e substituí-la por uma relação de aproximação de duas unidades, não a fusão de duas metades.

Conta a lenda dos índios Sioux que, certa vez, Touro Bravo e Nuvem Azul chegaram de mãos dadas à tenda do velho feiticeiro da tribo e pediram: - Nós nos amamos e vamos nos casar. Mas nos amamos tanto que queremos um conselho que nos garanta ficar sempre juntos e estar um do lado do outro até a morte. Há algo que possamos fazer? E o velho, emocionado ao vê-los tão jovens, tão apaixonados e tão ansiosos por uma palavra, disse:
- Há uma coisa a fazer, mas é uma tarefa muito difícil e sacrificada. Tu, Nuvem Azul, deves escalar o monte ao norte da aldeia apenas com uma rede caçar o falcão mais vigoroso e trazê-lo aqui, com vida, até o terceiro dia depois da lua cheia. E tu, Touro Bravo, deves escalar a montanha do trono; lá em cima encontrarás a mais brava de todas as águias. Somente com uma rede deverás apanhá-la, trazendo-a pra mim viva!

Os jovens abraçaram-se com ternura e logo partiram para cumprir a missão. No dia estabelecido, em frente à tenda do feiticeiro, os dois esperavam com as aves. O velho tirou-as dos sacos e constatou que eram formosos exemplares dos animais que ele tinha pedido.
- E agora, o que faremos?, perguntaram.
- Peguem as aves e amarrem uma à outra pelos pés com essas fitas de couro. Quando estiverem amarradas, soltem-nas para que voem livres.

Eles fizeram o que lhes foi ordenado e soltaram os pássaros. A águia e o falcão tentaram voar, mas conseguiram apenas saltar pelo terreno. Minutos depois, irritadas pela impossibilidade do voo, as aves arremessaram-se uma contra a outra, bicando-se até se machucar. Então o velho disse: - Jamais esqueçam o que estão vendo, esse é o meu conselho. Vocês são como a águia e o falcão. Se estiverem amarrados um ao outro, ainda que por amor, não só viverão arrastando-se como também, cedo ou tarde, começarão a machucar um ao outro. Se quiserem que o amor entre vocês perdure, voem juntos, mas jamais amarrados. Libere a pessoa que você ama para que ela possa voar com as próprias asas.

Essa é uma verdade no casamento e também nas relações familiares, de amizade e profissionais. Respeite o direito das pessoas de voar rumo ao sonho delas. A lição principal é saber que somente as pessoas livres serão capazes de amá-lo como você quer e merece. Respeite também as suas vontades e voe em direção às realizações da sua vida. Tenha certeza de que, ao ser livre, você encontrará pessoas felizes que adorarão voar ao seu lado.










Psicoterapia Beneficia as Pessoas - http://psicologaneatauil.blogspot.com